Quarta, 26 Fevereiro 2020

        

10 de setembro - Dia Mundial de combate ao suicídio

A data, estipulada pela OMS, tem o objetivo de trazer uma discussão maior sobre o assunto e sua conscientização, com o objetivo de prevenir o ato do suicídio, através da adoção de estratégias pelos governos dos países. Todos os anos morrem um milhão de pessoas por suicídio no mundo, algo em torno de 1 morte a cada 40 segundos. Paralelamente a isso, ocorrem entre 10 a 20 milhões de tentativas de suicídios por ano. Para cada pessoa que morre, outras vinte tentam o mesmo caminho. 90% dos suicídios poderia ser evitado com ajuda psicológica. A maioria deles é causada por doenças mentais que não são tratadas porque muita gente nem sabe que precisa de tratamento. Aproximadamente 60% das pessoas que morrem por suicídio não buscam ajuda. Cerca de 17% dos brasileiros já pensou seriamente em suicídio. 4,8% deles já elaboraram um plano para isso. 

Um dos objetivos do setembro amarelo é ser um mês de diálogo. É um mês que busca criar conversas sobre o assunto, deixar as pessoas que sofrem com pensamentos suicidas saberem que elas não estão sozinhas e que a morte não é solução. O setembro amarelo busca salvar vidas através da informação e da conversa sobre esse assunto sério que ainda é um tabu.

E por que esse assunto é um tabu? 

Bom, suicídio não é notícia. Existe um receio muito grande de causar o "Efeito Werther" - já ouviu falar sobre ele? Pois bem, esse fenômeno ganhou seu nome do livro "Os sofrimentos do jovem Werther", livro do autor alemão Johan Wolfgang von Goethe, publicado em 1774. No final do livro, que possui um tom depressivo, o jovem Werther se suicida, o que levou a uma suposta onda de suicídios nos jovens europeus da época. O Efeito Werther foi comprovado cientificamente e é chamado de "suicídio por imitação". Suicídios se tornam mais comuns quando divulgados pela mídia. E é por isso que a OMS desaconselha que a mídia exponha métodos ou processos de suicídio: para evitar que esta exposição incentive outras mortes. 

Porém, os suicídios não são causados pela notícia ou pelo vídeo. As pessoas que se mataram ao ver esse tipo de coisa já tinham tendências antes de assistir e se encontravam no grupo de risco. Pessoas com depressão, pensamentos suicidas, esquizofrenia ou diversas outras doenças mentais não tratadas são vulneráveis ao efeito Werther. 

Falar sobre o assunto é de extrema importância justamente para reduzir o número de pessoas vulneráveis. Para que possamos evitar suicídios, o diálogo é o primeiro passo. Conversar, trazer o assunto à tona e fazer com que essas pessoas saibam que não estão sozinhas e que existem meios de tratar estas doenças. 

Somos o maior portal de saúde mental do Brasil. O Insituto Labinas traz informações atualizadas sobre o mundo da psiquiatria, psicologia e bem-estar.

Newsletter

Quer ficar por dentro das novidades?! Tudo sobre saúde mental. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fique tranquilo. Não mandaremos spam.