Domingo, 26 Janeiro 2020

        

Será que eu preciso de AJUDA PSIQUIÁTRICA?

A primeira dúvida que deve passar na cabeça de muitos é: Será que o que estou sentindo não passa sozinho? Ou então, “não estou louco, por que devo passar num psiquiatra?”. Quando saber se está na hora de procurar uma ajuda para mim ou para algum familiar.

 

preciso de ajuda. Primeiramente, devemos tirar o preconceito que há em nós e também em alguns ramos da sociedade de que psiquiatra é “médico de louco”. Não! Eu devolvo a pergunta com um questionamento: O que é ser normal se somos todos uns diferentes dos outros. Mas, brincadeiras à parte, o psiquiatra é um médico como qualquer outro. Ele faz diagnóstico, tratamento, acompanhamento e reabilitação de doenças. Só que doenças que envolvem a mente, neurotransmissores e neurônios.

 

O momento de procurar um psiquiatra é quando você percebe que já está há algumas semanas um pouco diferente do que aquilo que costuma ser. O fato é que esses sintomas não precisam vir todos juntos. Apenas 3-4 desses fatores já requer uma avaliação psiquiátrica.

 

Entre eles temos: perda de prazer nas coisas que antes lhe eram prazerosas (avidades físicas, sexo, amigos, viagens), desânimo, sem vontade, um pouco triste ou até indiferente, preocupado. Outros sintomas que podem ser necessários para uma procura com psiquiatra é alteração do apetite (comendo muito ou comendo pouco), insônia ou mesmo sonolência em excesso, perda de libido, cansaço excessivo, sensação de falta de energia, ansiedade.

 

Outras queixas comuns de procura é muita agitação, dificuldade em se “desligar”, ficar “remoendo as coisas do dia na cabeça e não dormir”, e angústia. Aqueles que tem ido aos médicos com aperto no peito súbito, falta de ar, suor frio e súbito, formigamento nas mãos, taquicardia, desconforto para respirar sem que os exames mostrassem alteração, também podem estar passando por um processo psiquiátrico. Esses inclusive ouvem dos médicos de “que seu problema é psicológico”.

 

Pais que percebem que o filho é muito agitado na escola, com dificuldade de se concentrar ou que é muito desatento. Crianças que brigam com facilidade, fazem muita birra, gostam de desafiar os pais e professores também podem precisar de ajuda. É necessário observar o filho que não gosta de se envolver com outras crianças da idade, teve atraso na fala, tem alguns comportamentos diferentes, olha pouco nos olhos e também tem uma certa falta de coordenação motora.

 

Adolescentes que tem mudado o comportamento, estão isolados, estão com amizades que não parecem positivas, dormem pouco e estão sem apetite também podem necessitar de avaliação. Tanto crianças quanto adolescentes cujo rendimento escolar piorou abruptamente sem uma causa aparente também pode estar passando por algum transtorno psiquiátrico.

 

Em resumo, tudo aquilo que foge do que é considerado usual da criança, do adolescente ou do adulto por um período de tempo maior do que algumas semanas, pode indicar uma doença psiquiátrica e necessita de avaliação com urgência. Quanto mais cedo a avaliação, mais cedo se tem um diagnóstico e mais cedo a pessoa pode voltar ao que era antes.

 

Na dúvida sempre procure um médico.

Somos o maior portal de saúde mental do Brasil. O Insituto Labinas traz informações atualizadas sobre o mundo da psiquiatria, psicologia e bem-estar.

Newsletter

Quer ficar por dentro das novidades?! Tudo sobre saúde mental. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fique tranquilo. Não mandaremos spam.